Saiba o que é baixa estatura e como tratar

O que é baixa estatura?
A baixa estatura ou crescimento deficiente pode ser caracterizada por uma destas três situações, quando a criança está aquém do seu potencial familiar e da população a que pertence:
1) uma ALTURA abaixo da esperada quando comparada à população da mesma idade ou sexo;
2) uma ALTURA abaixo da esperada quando comparada ao seu potencial familiar;
3) uma VELOCIDADE DE CRESCIMENTO abaixo do esperado para a faixa de idade.
Na primeira situação, uma criança tem altura abaixo da esperada quando sua altura está abaixo do percentil 3 do gráfico de altura da população para aquele sexo. Estar abaixo do percentil 3 significa estar entre os três menores quando comparado a outras 99 pessoas do mesmo sexo e idade.

Na segunda situação, a criança tem altura abaixo da esperada quando está abaixo do canal de crescimento familiar. De acordo com a estatura dos pais, calcula-se o potencial familiar de estatura final. Toda criança abaixo deste potencial merece ser investigada.

Crescimento

Na terceira situação, uma criança que esteja com uma altura adequada do ponto de vista populacional e familiar, mas que nos últimos doze meses tenha crescido abaixo do esperado para a sua idade e sexo, que é no minimo 4 centimetros por ano na fase pré puberal.

Quais são as causas da baixa estatura?
A causa da baixa estatura é multifatorial e na maioria dos casos é detectada uma doença pediátrica. A desnutrição é uma causa importante e pode estar relacionada a alterações do apetite, maus hábitos alimentares ou problemas de absorção intestinal. Doenças genéticas, respiratórias, renais, intestinais e cardíacas além de fatores comportamentais como sedentarismo e sono inadequado também podem contribuir para a baixa estatura. Entre as causas hormonais, as principais são o hipotireoidismo e a deficiência do hormônio de crescimento.

Como é a avaliação clinica de uma criança com baixa estatura?
É recomendável que a mãe ou o pai estejam presentes pois serão solicitadas informações sobre os períodos da gestação, do nascimento e da infância. Aspectos ligados à alimentação, medicamentos, exercícios e sono. É essencial que a estatura do paciente seja medida com estadiômetro de precisão pelo endocrinologista infantil, para evitar erros de cálculos e diagnóstico.

Se um dos pais não puder comparecer à consulta, deverá enviar sua altura atualizada para o cálculo do potencial familiar.

Como é feito o diagnostico?
Depende do grau da baixa estatura, das informações colhidas durante a consulta e o exame físico. Se a baixa estatura é confirmada, um exame de idade óssea é sempre solicitado. Exames de sangue, urina e fezes também podem ser necessários de acordo com os achados da avaliação clínica.

É verdade que após a primeira menstruação a menina para de crescer?
Não. Quando ocorre a primeira menstruação, a menina geralmente está na fase final do estirão puberal e a partir daí ocorre uma diminuição da velocidade de crescimento. Após a menstruaçao as meninas ainda crescem em media uns 6 centímetros nos próximos 2 anos.

Como é feito o tratamento da baixa estatura?
O tratamento varia muito de acordo com as causas que foram encontradas. O tratamento de suporte é muito importante e envolve a correção de hábitos alimentares errados, a orientação de uma alimentação balanceada para a idade com estímulo à atividade física e ao sono adequado. O maior objetivo de um tratamento para a baixa estatura é identificar e tratar os fatores que estejam perturbando o processo normal de crescimento, e criar condições para que a criança aproveite ao máximo todo o seu potencial genético, seja tratando a doença de base ou com reposição de hormônio de crescimento.

Que fatores influenciam no tratamento?
O tratamento da baixa estatura geralmente implica na adoção de vários novos hábitos como tempo de sono, atividade física, alimentação balanceada e, em alguns casos, uso de medicamentos.
Outro aspecto fundamental é a época de iniciar o tratamento. Embora alguns sinais da baixa estatura sejam percebidos na infância, é comum os pais e o paciente só procurarem orientação especializada na puberdade, quando o adolescente começa a perder sua auto-estima em função da demanda social da estatura.

Nessa época, entretanto, as possibilidades de tratamento ficam muito reduzidas, pois as epífises ósseas já se encontram com processo de fechamento muito adiantado devido à ação dos hormônios da puberdade (exceto aqueles casos em que existe um atraso significativo da idade óssea). Portanto na simples suspeita pelo pediatra ou pela família de baixa estatatura, procure um endocrinologista pediátrico.